Top

Raça e Gênero no Cinema Brasileiro (2002-2014)

Raça e Gênero no Cinema Brasileiro (2002-2014)

 

Marcia Rangel Candido e Luiz Augusto Campos

O Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (GEMAA-IESP-UERJ) deu início em 2014 à pesquisa “A Cara do Cinema Nacional: perfil de gênero e cor dos atores, diretores e roteiristas dos filmes brasileiros”. Em sua primeira divulgação, o trabalho cobriu os lançamentos de maior bilheteria entre os anos de 2002 e 2012. Apresentamos agora a atualização desses dados no infográfico “Raça e Gênero no Cinema Brasileiro (2002-2014)”.
Novamente, permanece a predominância de homens de cor branca em todas as principais funções do cinema nacional, direção (84%), roteirização (69%) e atuação (45%). As mulheres negras estão totalmente ausentes nas funções de produção de narrativas (direção e roteirização) e possuem baixa representatividade no elenco principal dos filmes (5%), com o marco de não terem protagonizado nenhuma obra de grande bilheteria nos anos de 2002, 2008 e 2013. Os dados notabilizam o problema da questão racial no país. Se as mulheres brancas encontram participação desigual em relação à predominância dos homens de cor branca, os negros e as negras são ainda mais atingidos por esse contexto assimétrico.